31

mar

Como prevenir a lágrima ácida no seu cãozinho!

Mike Schmid/Creative Commons

Mike Schmid/Creative Commons

Sabe aquela mancha escura que fica embaixo dos olhos de alguns cães e gatos? Parece uma olheira que está sempre úmida. Popularmente isso é chamado de lágrima ácida, mas não tem nenhuma relação com o Ph.

Essa remela escura que parece nunca sair é chamada de cromodacriorreia. Não é apenas o nome que é difícil. Esse é um assunto que parece simples, mas há diversas causas. A solução também é mais complexa do que parece.

Por que o cachorro/gato tem lágrima ácida?

Honey Bunny/Creative Commons

Honey Bunny/Creative Commons

O escurecimento dos pelos abaixo dos olhos ocorre quando a lágrima é produzida em excesso. O canal lacrimal (aquele furinho no cantinho inferior do olho, próximo ao cílio) não consegue absorver toda a lágrima e escorre para fora do olho.

Ao contrario do que diz, a lágrima possui um Ph neutro, não é acida. Porém, um dos componentes da lágrima é a lactoferrina (prima do ferro). Ela é um dos fatores responsável pela coloração escura da lágrima. Esse mesmo parente do ferro é encontrado na saliva. Por isso que, ao se lamber, alguns animais têm as pontas das patas e barbas manchadas. Devido à cor mais amarronzada, é mais fácil perceber em cães e gatos de pelos mais claros.

Essa lágrima em excesso, que não é absorvida, sai do olho e causa uma umidade ao redor do globo ocular. Em contato com bactérias comuns na flora da região, pode produzir secreção fétida e também apresentar a coloração escura.

O que gera a lágrima ácida?

Max Schwoelk/Creative Commons

Max Schwoelk/Creative Commons

A lágrima pode não ser absorvida pelo canal lacrimal devido a alguns motivos:

  1. Obstrução parcial ou total do canal lacrimal, chamada de epífora.
  2. Alteração no trajeto anatômico do canal
  3. Excesso de produção de lágrima
  4. Excesso de pelos na região
  5. Pálpebras mal posicionadas
  6. Alteração do trajeto anatômico do canal lacrimal
  7. Tártaro nos dentes

No caso de animais braquicefálicos (focinhos achatados), como persas, buldogues, pugs, pequineses, shitzus, etc, apresentam uma predisposição por sua anatomia ocular. Por terem os olhos proeminentes (esbugalhados), as pálpebras, muitas vezes, não são bem posicionadas, além de ter a redução do ducto lacrimal. Pode acontecer da pálpebra nascer um pouco virada para dentro do olho e os pelos irritarem o globo ocular, causando produção em excesso de lágrimas.

Saunders, 2008

Saunders, 2008

Pode parecer estranho, mas até o tártaro pode facilitar o excesso de lacrimejamento. Isso porque o canal lacrimal desce do olho, passa pelo nariz e, muitas vezes, chega até a boca. Por isso que nosso nariz escorre quando choramos. É o extravasamento de lágrimas que não são absorvidas pelo canal lacrimal.

Nobu e a lágrima ácida

Foto: Guilherme Müller

Foto: Guilherme Müller

Desde os 6 meses de idade o pequinês Nobu luta contra o escurecimento embaixo dos olhos. Seus pais já tentaram de tudo. “Descobrimos o medicamento Angel Eyes e usamos durante 60 dias. Ajudou no começo, mas depois voltou tudo” relata o dentista Guilherme Müller, pai do Nobu.

Foto: Guilherme Müller

Foto: Guilherme Müller

Além de utilizar esse medicamento, trocaram a ração para ver se resolvia, mas de nada adiantou. “O ruim dessa mancha é que parece que ele está sujo, mesmo tomando banho com frequência” confessa Guilherme.

Como solucionar?

Natalia Romay/Creative Commons

Natalia Romay/Creative Commons

Se seu peludo está com o escurecimento na região dos olhos, a primeira coisa a se fazer é procurar o médico veterinário. Será preciso identificar a causa desse escurecimento para, então, poder solucioná-lo. Para a grande maioria dos casos, existe correção cirúrgica. Se for apenas obstrução do canal lacrimal, pode ser feita a manutenção e desobstrução do ducto.

“A utilização de medicamentos, muitas vezes, é apenas para maquiar os sintomas e solucionar o problema localmente. Para resolver a causa é necessário fazer exames e, se necessário, intervenção cirúrgica” explica a médica veterinária especialista em oftalmologia Juliana Souza Jorge.

A Dra Juliana dá algumas dicas que podemos fazer em casa para ajudar na melhora do escurecimento:

  • Limpar e secar a região com gaze ou paninho de algodão seco (não usar algodão desses que compra em farmácia);
  • Massagear o canto dos olhos, para evitar entupimento ou melhorar a vazão das lágrimas;
  • Manter o pelo da região sempre limpo e aparado;
  • Não usar secadores na região do focinho. Secar com uma toalha.

Mudança na alimentação ajuda?

Não há comprovação científica de que mudar a alimentação melhore o problema de cromodacriorreia (escurecimento embaixo dos olhos). Quem deve orientar o que deve ser feito no tratamento é o médico veterinário. “Vale lembrar que a mudança da alimentação não irá resolver se o caso for cirúrgico” reforça Dra Juliana.

Cachorro chora?

Wanna Be Creative/Creative Commons

Wanna Be Creative/Creative Commons

A Dra Juliana é veemente ao dizer: “cães e gatos não choram. Isso é uma forma humanizada de observar o excesso de lágrima”. Por isso, se seu cão está “chorando”, pode significar algum probleminha no canal lacrimal e deve ser levado ao médico veterinário.