10

mar

Vermes! Como evitar esses parasitas no seu cão.

Um inimigo que poucos conhecem são os vermes intestinais. Silencioso e, muitas vezes, imperceptíveis, eles deixam o animal desnutrido e podem ser transmitidos ao ser humano.

simon edge/creative commons

simon edge/creative commons

Lembra daqueles vermes nojentos que estudamos na escola? Eles podem estar mais perto que imaginamos. Basta o cachorro cheirar fezes contaminadas e lamber o focinho, que pode ficar infestado de parasitas intestinais.

Quando o problema já está instaurado, só há uma solução: vermífugo.

Sintomas de verminose

Sue Hixson/Creative Commons

Sue Hixson/Creative Commons

Esse é o problema: verminose nem sempre tem sintomas. Por isso é tão difícil de diagnosticar. Claro que há sempre a possibilidade de fazer um exame de fezes. Porém, se o protozoário, como a giárdia, estiver na fase de cisto, talvez não seja diagnosticado no exame.

Fique de olho caso seu pet comece a ter diarreia, perda de peso, perda de apetite, vômito, fezes com sangue ou gelatinosas e coceira anal. Comer as próprias fezes também pode ser um sintoma de verminose. Com qualquer uma dessas queixas, leve seu pet ao veterinário para diagnóstico correto é tratamento adequado.

Pulgas X Vermes

Tony Alter/Creative Commons

Tony Alter/Creative Commons

Pode parecer estranho, mas toda vez que seu cachorro Lugano estiver com infestarão de pulgas, é importante fazer a vermifugação. Isso porque, ao se lamber, o animal ingere a pulga, que por sua vez, possui um parasita que se instala no intestino e pode até sair pelo anus. O verme dipilidium parece um grãozinho de arroz inofensivo.

Ciclo do verme

Quase todos os vermes são transmitidos via oral. Pode ser por água contaminada, alimento mal lavado ou mesmo por cheirar o chão contaminado e lamber o focinho. É quase impossível evitar que seu peludo tenha contato com essas praguinhas quase invisíveis.

Quando dar vermífugo?

GRANT DAWSON/Creative Commons

GRANT DAWSON/Creative Commons

Não há uma regra. Tudo vai depender do estilo de vida do animal. O melhor profissional para lhe indicar a frequência da dose correta é o médico veterinário.

Cães que passeiam bastante e têm o costume de frequentar praias, devem tomar vermífugos mensalmente ou a cada dois meses. Mas se seu pequeno passeia em parques e ruas, pode espaçar a vermifugação para cada três meses. Nos casos dos gatos que não saem de casa, pode ministrar o vermífugo a cada seis meses. Tudo isso com aval do médico veterinário.

Como o vermífugo age?

O médico veterinário e gerente técnico unidade Pet da MSD Saúde Animal, Andrei Nascimento, explica que, de maneira geral, os vermífugos, após ministrados e absorvidos pelo intestino do animal, são ingeridos pelos parasitas, ao se alimentarem do sangue dos animais tratados.

“Os vermífugos têm diferentes ingredientes ativos na sua composição que interferem em processos bioquímicos essenciais do parasita” explica Dr Andrei. Ele ainda exemplifica alguns princípios ativos: “o Fembendazol inibe a captação de glicose do parasita, interferindo no metabolismo energético de maneira irreversível. Já o Praziquantel causa paralisia do parasita que se desprende da parede do intestino e é eliminado”.

Os vermífugos comuns a venda no Brasil agem contra os principais vermes que parasitam cães e gatos. Veja os nomes difíceis: Toxocara canis, Toxocara cati, Toxascaris leonina, Ancylostoma caninum, Ancylostoma tubaeforme, Ancylostoma braziliense, Trichuris vulpis,  Dipylidium caninum e Dirofilaria immitis.

Se seu peludo tiver diarreia após a vermifugação, não estranhe. É uma forma de limpar o intestino desses parasitas indesejados. A ação desse tipo de medicação não é preventiva. Só ataca os parasitas já existentes no intestino.

Por que é tão fácil pegar giárdia?

schmidty4112/Creative Commons

schmidty4112/Creative Commons

De todas as doenças intestinais, a giardíase (acusada pela giárdia) é uma das piores. Isso porque o cisto pode permanecer no ambiente por longo tempo e não é qualquer produto de limpeza que consegue matá-lo.

A médica veterinária e gerente técnica da Virbac, Fabiana Zerbini Jorge, ensina que só produtos com amônia quartelada ou água sanitária conseguem acabar com esse protozoário. “Canis, creches e locais com aglomeração de cães têm maior potencial de transmissão. Por isso a importância de zelar pela limpeza com esses produtos” reforça Dra Fabiana.

Além disso, a medicação para matar esse protozoário deve ser específica. Não é qualquer vermífugo que irá resolver.

Posso pegar o verme do meu cachorro?

Sparky/Creative Commons

Sparky/Creative Commons

Infelizmente a resposta é sim. Muitas das doenças intestinais são zoonoses, como por exemplo a giardíase. Ao se lamber, o animal pode se reinfectar. Se, após o “banho”, ele te der aquela lambida na boca, você pode ser contaminado. É a famosa frase “você não sabe onde a língua dele estava antes de te dar aquele beijo”.

Por isso, visitas frequentes ao médico veterinário e a realização de check-ups são fundamentais para que seu pequeno fique saudável e, consequentemente, você também. Assim sendo, além de vermifugar o seu peludo, procure um médico (humano) e tome vermífugo regularmente.